Pesquisar neste blogue

julho 03, 2014

ESCALÓNIA


 

Escalónia (Escallonia) 

Família: Grossulariaceae
Nome comum: Escalónia
Outras variedades: E. montevidensis, E. exoniensis, E. microphylla, E. punctata, E. virgata
 
Descrição: 
 

Pequeno arbusto na maior parte dos casos de folha perene, a Escalónia encontra-se com frequência em jardins municipais ou em vivendas urbanas e é normalmente utilizado em sebes ou como pequena árvore. Na utilização comum é muitas vezes designada por buxo, embora erradamente. De cada tronco principal desenvolvem-se ramos menos lenhosos, com pequenas folhas de um verde escuro brilhante, miúdas, dispostas ao longo dos caules, que se desenvolvem para todos os lados da planta com grande entusiasmo e por vezes numa aparente desordem. Quando deixada crescer sem controlo, forma grandes maciços que se cobrem de pequenas flores quase todo o ano. Quando aparada com frequência e sujeita a um modelo em forma de árvore, pode atingir 6 metros de altura. Habitualmente faz-se uma poda sistemática logo após a época da floração. É muito fácil de manter e aconselhável para quem pretenda constituir rapidamente (2 anos) uma sebe densa, de cor permanentemente verde escura e salpicada de pequenas flores vermelhas ou brancas na estação própria, em geral o Verão e o Outono. As folhas de algumas espécies quando esmagadas, libertam um ligeiro aroma próprio.
 
Origem: Nativa das regiões temperadas da América do Sul, é muito comum em quase todo o sul da Europa, nomeadamente no nosso País.
 
Cultura: Fácil de cultivar e de reproduzir, a Escalónia requer solo pouco rico mas bem drenado, suportando temperaturas extremas sem dificuldade. Não sofre praticamente ataque de nenhuma praga ou inseto, tornando-se ideal para sebes e contornos de altura média. Deve ser podada quando destinada a sebe logo após a floração, ou nos locais mais frios, no início da Primavera.
 
Luz: Gosta de sol pleno e pouca sombra, mas é bastante resistente em quase todos os locais onde a temperatura é temperada.
 
Humidade: Não deve ser cultivada em terrenos húmidos, pelo que se aconselha uma mistura de terra com areia para ajudar a drenar o solo onde for plantada. Não requer rega sistemática, mas aprecia um pouco de água no tempo mais quente, junto ao tronco principal.
 
Resistência: Forte e resistente à geada e ao sol, é um excelente arbusto para qualquer jardim.
 
Propagação: Por corte de caules tenros e novos, na Primavera, ou de ramos mais maduros retirados no Outono. Mergulhe a ponta cortada em hormona fertilizante, plante em recipiente pequeno com mistura de terra e areia e coloque-o em local protegido até nascerem as primeiras folhas. Pode cortar com as unhas  o topo da muda para forçar um desenvolvimento mais vigoroso de brotos laterais em vez do crescimento vertical. Transplante depois para o local definitivo, de preferência na estação menos fria e ventosa, deixando um espaço de cerca de 60 cm entre cada pé. Corte frequentemente os lados e os ramos que cresçam mais em altura, alinhando e corrigindo, para incentivar a formação de um arbusto encorpado e harmonioso. Se necessário, utilize uma corda esticada entre dois paus para ajudar a manter a tesoura de poda sempre ao mesmo nível. Atendendo ao seu rápido desenvolvimento, a arquitetura da sebe beneficiará destas podas frequentes.
Aplicações: Ótimo em sebes, pequenas árvores floridas no meio de um jardim relvado ou ainda num canteiro como fundo para um contraste verde escuro para flores anuais coloridas.
 
Características: A Escalónia é a rainha das sebes: é muito barata, fácil e rápida de propagar, resistente, quando saudável enche-se de pequenas flores brancas ou vermelhas, cujas folhas brilhantes, aromáticas e verde escuras são óptimas para complementar um ramo florido numa jarra. Dois anos passam depressa no que à natureza diz respeito, e de estação para estação a Escalónia desenvolve-se tão bem que proporciona grande satisfação a quem plantou este belo arbusto, que ainda por cima se caracteriza por não ter praticamente nenhum inconveniente, nem mesmo ao nível das pragas.

2 comentários:

  1. Boas, no meu caso o clima de inverno é muito rigoroso, e as sebes lavaram muitíssimo tempo a desenvolver, e só ao fim de alguns anos consegui que elas tivessem a altura desejada. Neste momento são alvo de alguma praga pois parece que pararam no tempo e secaram parcialmente, e ninguém me sabe dizer o que se passa com elas. obrigado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, sim levam tempo a ganhar altura e corpo, mas para mim ainda são das melhores plantas para sebe. Podar é muito importante, duas vezes ao ano. Tb tive uma doença que secou uma parte, mas com rega passou e já estão a recuperar. Obrigada pela visita e boa sorte para o seu jardim.

      Eliminar